GaloKombi em vídeo

Loading...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Sobre estádios, preços de ingresso e prejuízos

Depois de ler matéria do UOL Esportes, sobre os prejuízos de Altético, América e crucru, por causa da ausência do mineirão (quem quiser conferir clique aqui), já começo a pensar no preço dos ingressos para o campeonato mineiro, copa do brasil, brasileiro 2011 e, eventualmente, sulamericana.
Em 2010, o Galo passou a cobrar, no brasileiro e copa do brasil, ingressos mais caros, sob a justificativa de investimentos pesados no futebol. Ficou famosa a frase do presidente: "O ingresso é R$40,00 mas o Rever é nosso" (http://twitter.com/alexandrekalil).
Embora os investimentos tenham sido pesados, o resultado não veio, e preço dos ingressos despencou para justificar a ida da torcida ao campo, seja em Sete Lagoas, seja em Ipatinga. Até porque, o torcedor não quis pagar R$40,00 para assistir ao timinho que o Luxa colocou em campo, e ainda ter despesas de deslocamento, alimentação, golo, etc., fora o risco de vida de enfrentar essas estradas horríveis, com motoristas piores ainda, especialmente, na maldita BR381, em Ipatinga.
Considerando que o preço inicialmente praticado, R$40,00 a cadeira, e R$150,00 a cadeira especial, que de especial não tem nada, já que nem coberta é, fico pensando: quais serão os valores praticados para 2011?
O campeonato mineiro, tradicionalmente, tem um valor mais módico, por razões óbvias. Na copa do brasil, o preço, que já um pouco mais alto, ia recebendo aumentos progressivos na medida em que o Galo passava de fases. No brasileiro de mata-mata, a mesma coisa, mas a partir dos pontos corridos, o preço já era mais salgado.
Tudo feito em nome da necessidade de investimentos no futebol.
Tudo bem, vá lá. Mas, como toda regra de mercado, só haverá público para pagar caro se o espetáculo justificar o investimento, coisa que não ocorreu em 2010. Resultado: cadeira a R$5,00 (meia R$2,50) e a especial a R$50,00 (meia R$25,00).
Mas, mais que investimentos no futebol, o clube tem que considerar o conforto (ou a falta de) ao torcedor.
Pagar mais que R$20,00 na cadeira comum, e R$40,00 na especial, na Arena do Jacaré, é absurdo!
Mesmo com o time indo bem!
Afinal, ficar quarando no sol, ou ensopado na chuva, não justifica preço superior a esses. Até porque, além do ingresso, o torcedor ainda vai ter despesa de gasolina, ou passagem no ônibus ou van, e alimentação. Ou seja, sai caro pra qualquer um.
O Kalil tem que considerar isso, sim, afinal, é o torcedor a justificativa maior para o clube.
De que adianta cobrar caro, para o estádio ficar vazio!?

Um comentário:

  1. eu acredito que será repetido a política desse ano, colocando 20 no mineiro e 40 no brasileiro, copa do brasil e sula caso consiga a vaga deverá ser equacionada por fase.


    -- http://noticiagalo.blogspot.com

    ResponderExcluir