GaloKombi em vídeo

Loading...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Galo é líder, mas precisamos manter os pés no chão.

O Galo é líder com uma boa e importante vitória sobre o Avaí, por 3x1 no sábado.
Mas é mais que importante, é imprescindível, na verdade, que mantenhamos os pés no chão, pois, embora o placar tenha sido amplo, e o resultado bom pra nós, garantindo nossa liderança, como pudemos ver, os gols saíram da zaga e não do ataque.
Embora mostre que o time tenha opções para a conclusão ao gol, isso mostra que, por algum motivo, nosso atacantes não tiveram as condições ideiais para fazer o que se espera deles.
Achei, neste jogo, que Guilherme foi mal. Diferentemente do primeiro jogo em que a falta de entrosamento, natural na sua condição, foi determinante para uma avaliação menos positiva, achei que nesse jogo ele mal. Além da falta de entrosamento, não o achei com o mesmo ímpeto de antes. Mas tudo bem, ele ainda tem crédito.
E, muito embora, zaga nos tenha contemplado com 3 gols, também foi responsável por falhas inexplicáveis, como no gol do Avaí, em falha clamorosa de Leandro, com contribuião de Leo Silva, que se redimiu, felizmente.
Além disso, muitos passes errados, decorrentes, claro, do entrosamento que ainda insiste em ser destaque no Galo. E, claro, também, porque é natural que isso acontença com o time que tem domínio de jogo e de bola.
Mas isso, por enquanto, é tolerado contra times de menor expressão, como o Atlético/PR e o Avaí, por isso, temos que consertar já para a quarta que vem, contra o São Paulo que, embora não esteja em seu melhor momento, inegavelmente, é bem superior aos nossos dois últimos adversários.
No geral, achei que o jogo foi bom, apesar de alguns problemas pontuais na equipe. Problemas esses que, certamente, Dorival "Trabalho" Júnior, vai conseguir sanar, até porque, de abril pra cá a melhora do time é visível, e ninguém pode duvidar disso.
Não quero aqui ser o estraga prazeres da festa! Longe disso! Mas como estamos no início do campeonato, e embora seja importante fazer a "poupancinha" de pontos que podem ser úteis para nossas pretensões na parte de cima da tabela, é o momento que temos para avaliar as condições do time nesse começo, para sanar os problemas e melhorar o time.
DataKombi: Aproveito e coloco aqui um levantamento feito pelo amigo Chico da Kombi, de Irecê/BA, em seu blog (http://voudekombi.blogspot.com) sobre os times com 100% de aproveitamento na 2ª rodada, desde 2003.

Especiais saudações pelo aniversário para o amigo Luiz Felipe Cayres Vieira, vulgo Cojakpiu, e para o João Vítor, filho da grande amiga Renata Araújo. Pelo ensejo, os dois ganharam uma volta na GaloKombi!
Abraços a todos.

terça-feira, 24 de maio de 2011

GaloKombi no Galonautas e no GaloCast

A GaloKombi agora é parceira do Galonautas e do Galo Cast.

A primeira coluna da GaloKombi no Galonautas já foi publicada, e você pode conferir em www.galonautas.com.br. É só acessar e procurar o link da coluna.

A participação da GaloKombi no GaloCast 106 você pode conferir em www.galocast.com.br e lá você ainda poderá ouvir os programas 104 e 105, que também tiveram nossa participação. Basta clicar nos links do lado esquerdo do site.

domingo, 22 de maio de 2011

O Brasileirão Começa bem para o Galo - E Não Estou Falando Apenas da Vitória

O Brasileirão 2011 começou bem para o Galo, e não foi só por causa da vitória de ontem não, até porque te sido assim desde 2003.
O Campeonato começou bem porque deu pra ver que o Galo tem time pra enfretar os adversários com cabeça erguida e qualidade com a bola no pé.
É claro que temos muitas coisas a melhorar.
Mas o que vi ontem foi um time que, mesmo sem 5 jogadores considerados titulares, fez uma boa partida, com boas jogadas, com um espírito de luta, de entrega, que é o que todo torcedor alvinegro deseja.
O excelente lançamento de Giovani para Toró, logo no início do jogo, junto com o (raro) gol de cabeça de Magno Alves, mostraram que o time, apesar de jovem e inexperiente, tem plenas condições de evoluir, com o trabalho e atenção que é a marca de Dorival Júnior.
Nem a profusão de gols perdidos diminuiu, no nosso modesto ponto de vista, a satisfação de ver a diferença com que o time que enfrentou ontem os genéricos tem qualidade suficiente para mostrar um bom resultado até o final do ano.
O destaque ainda foi a meninada da base, já que os novos contratados ou não tiveram tempo de mostrar serviço, caso de Cambalhota, ou ainda não se encontraram em campo, caso de Guilherme, que, mesmo assim, foi bem, procurando o jogo.
Enfim, o brasileiro começou bem pro Galo não só pelo placar, pela vitória, pelos 3 pontos. Mas, principalmente, pela expectativa do que esse time tem possibilidade de alcançar.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

VAI COMEÇAR O BRASILEIRÃO 2011

Amanhã começa o Brasileirão 2011, assim como se renovam nossas esperanças de um desempenho melhor nesse ano, mais condigno da história do CAM e da paixão de sua torcida.
Ainda é cedo para fazer prognósticos, tanto do Galo, quanto das demais equipes, já que o campeonato é longo, difícil, e no meio do caminho, tem uma janela de transferências que pode fazer com que o melhor time do campeonato despenque na tabela de classificação.
Acredito que tenhamos time para beliscar uma vaga na libertadores. Os garotos da base mostraram seu valor, e venderam caro o título mineiro para o cruzeiro.
Mas isso já é passado. O negócio agora é olha para o futuro. E o futuro do ano é o Brasileirão e a Sulamericana.
E nessa semana li a projeção que a Playboy fez dos times para o brasileirão 2011. De acordo com o diretor de redação da Placar, que assina a matéria na Playboy, vamos ficar em 16º lugar. Acho exageiro! Temos um time muito melhor que Botafogo, Avaí, Vasco, América/MG, Atléticos Falsos (PR e GO), e que podemos encarar de frente Palmeiras, Corinthians, Flamengo...
E digo isso, apenas, porque vi como nossa equipe se comportou bem diante do Cruzeiro, que junto com o Santos, na minha opinião, se mostram como os mais difíceis de se enfrentar, até aqui.
Abaixo reproduzo a cotação que o jornal Estado de Minas fez, em caderno especial, dos times no Brasileirão 2011:
Cruzeiro - cotação: Campeão - craque: Montillo - atenção: Wallyson
América - cotação: série A - craque: Fábio Júnior - atenção: Otávio
Atlético - cotação: Libertadores - craque: Mancini - atenção: Guilherme
Botafogo - cotação: Sulamericana - craque: Maicosuel - atenção: Thiago Galhardo
Flamengo - cotação: Libertadores - craque: Ronaldinho Gaúcho - atenção: Diego Maurício
Fluminense - cotação: Campeão - craque: Fred - atenção: Digão
Vasco - cotação: Sulamericana - craque: Juninho Pernambucano - atenção: Bernardo
Corinthians - cotação: Campeão - craque: Liédson - atenção: Willian
Palmeiras - cotação: Sulamericana - craque: Kleber - atenção: Tinga
Santos - cotação: Campeão - craque: Neymar - atenção: Danilo
São Paulo - cotação: Libertadores - craque: Lucas - atenção: Casemiro
Internacional* - cotação: Libertadores - craque: D'Alessandro
Grêmio* - cotação: Libertadores - craque: Douglas
Coritiba* - cotação: Libertadores - craque: Marcos Aurélio
Atlético/PR* - cotação: Sulamericana - craque: Paulo Baier
Bahia* - cotação: Rebaixamento - craque: Jobson
Avaí** - cotação: Sulamericana
Figueirense** - cotação: Rebaixamento
Ceará** - cotação: Sulamericana
Atlético/GO** - cotação: Rebaixamento
(*O EM só fez a cotação e indicou o craque / **O EM só fez a cotação)

A sorte está lançada que vença o melhor.
E O MELHOR É SEMPRE O GALO!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Da Folha.com de hoje 17/05/11 - Obina sente a solidão na China

Boa matéria da Folha.com de hoje 17/05/11, mas a Folha é tão FDP que coloca no título, como vcs podem ver, que o Obina é "Ex-Palmeiras"!
Sim, ele é ex-Palmeiras, mas foi pra China pelo que fez no Galo, é muito mais idolatrado aqui que em SP.
Mas fazer o quê!? a Folha é o mais bairrista dos jornais brasileiros...


17/05/2011 - 07h20

Ex-Palmeiras, Obina enfrenta barreiras para viver na China


FABIANO MAISONNAVE
ENVIADO ESPECIAL A JINAN
Dono da camisa 10, Obina desembarcou na China como ídolo do atual campeão chinês, o Shandong Luneng.
Porém, o isolamento numa cidade praticamente sem estrangeiros tem sido um duro teste para o atacante baiano e para sua família.

Fabiano Maisonnave/Folhapress
Torcedores do Shandong Luneng vibram e mostram imagem de Obina
Torcedores do Shandong Luneng vibram e mostram imagem de Obina
Já são dois meses em Jinan, uma nada cosmopolita cidade de 2 milhões de habitantes a 500 km ao sul de Pequim. Obina veio com a mulher, Luciene, e a filha de quatro anos, Sayonara.
A minúscula comunidade brasileira tem o zagueiro Renato Silva, 27, ex-São Paulo, que vive um drama pessoal: a mulher, Vanessa, está grávida e decidiu voltar ao Rio para ter o bebê, que deve nascer em julho. Ela planeja retornar sete meses depois.
Será um baque para todos. A mais extrovertida é também a única que fala inglês. "Eu me sinto como o centro do grupo, a que tem de estar atenta a tudo", revelou.
A Folha acompanhou a vitória do time de Obina por 1 a 0 contra o Jiangsu, no último dia 7. O jogo foi no bem cuidado estádio da cidade. Com capacidade para 40 mil pessoas, teve um público de só 10.156 pagantes num sábado à tarde. Todos sob a forte vigilância tanto de policiais como de militares fardados.
A torcida parece gostar de Obina, artilheiro do clube neste, com cinco gols.
Naquele dia, mesmo entrando só no segundo tempo e com uma atuação discreta, foi o único da equipe a ser homenageado com duas faixas e ter seu nome gritado pela pequena torcida organizada.
"O Obina não está gordo, ele é forte", disse o torcedor Ma Liandao, que foi ao estádio com a bandeira do Brasil, ecoando na China uma crítica recorrente ao longo da carreira do atacante de 28 anos.
Dentro de campo, as primeiras semanas foram mais difíceis. A má atuação no primeiro mês fez até surgirem rumores na imprensa local de que o jogador era na verdade um irmão de Obina.
A situação melhorou com os gols _entre outros, anotou dois numa mesma partida do Campeonato Chinês e ainda fez um de letra pela Copa dos Campeões da Ásia.
O time, porém, está em crise. Eliminado logo na primeira fase da Copa dos Campeões asiática, principal objetivo do ano, acaba de demitir o técnico croata Branko Ivankovic, com quem Obina e Renato se comunicavam por meio de dois intérpretes: do croata ao mandarim e do mandarim ao espanhol. Não há tradutor para o português.
"O tradutor é apenas na hora de falar com o treinador", diz Obina. "Eu não sei nem qual é a posição do Shandong no campeonato [está em oitavo], não dá pra ver a tabela nos jornais."
"A tradução muitas vezes é ruim", conta Renato. "Uma vez o intérprete me disse: 'Você tem de cabecear'".
Fora do clube, a barreira da língua é ainda maior. Para ir às compras, as mulheres vão apenas com um motorista, que não fala inglês.
"Somos mestres em mímica", diz Vanessa. "Quando vou pedir carne, falo 'muu', e 'no au-au'", conta.
Todos moram em apartamentos do próprio clube, num prédio longe de áreas comerciais, mas ao lado do centro de treinamento.
Sem canais em português e com uma TV a cabo que quase nunca funciona, a diversão de Obina e Renato tem sido o vídeo game XBox, que jogam em linha com Ricardo, jogador português.
A comida é um capítulo à parte. "Eu, que sou baiano, me surpreendi com a pimenta. A comida deles é mais quente", falou Obina.
Depois de uma frustrada incursão a uma churrascaria chinesa, onde havia até couve-flor no espeto, o grupo só come em três restaurantes da cidade: McDonald's, Pizza Hut e um de comida italiana. A maior parte das refeições é feita em casa.
Obina e Renato, no entanto, já são até veteranos se comparados ao atacante neozelandês Shane Smeltz. Contratado em julho do ano passado, ele se apavorou ao conhecer Jinan _aguentou apenas cinco dias na cidade.

domingo, 15 de maio de 2011

O CLÁSSICO EM 10 TEMPOS

1. Perdemos o título por nossas próprias falhas.
2. Entramos para empatar, e por isso perdemos.
3. Está claro que a meninada, apesar de ter jogado muito bem, sentiu a pressão do clássico.
4. Precisamos de reforços. Agora é esperar o que os novos contratados terão a apresentar.
5. Jogadores experientes, com que contávamos, não corresponderam. A perda do título não foi culpa deles, já que nessas ocasiões um apanhado de eventos contribui para isso, mas mostra que devemos rever nossos conceitos nesse sentido.
6. A arbitragem irritou nossos jogadores, parecia comprada, tendenciosa, facilitando, e muito, a vida delas. Muitas faltas invertidas, condescendências com os atletas marias, nas faltas, cartões e advertências. Isso contribuiu, e muito, para a punição de nossos atletas, e o bom desempenho de algumas gazelas, como Roger, Gilberto, Gil, Victorino e, principalmente, Fabrício, que confessou a um jornalista que iria bater, nesse jogo, como bateu no outro.
7. Dorival tem que continuar. Refundamos o time, novamente, no início da temporada, como tem sido frequente, e, por isso, pedir sua cabeça nao ajudará no desenvolvimento do time no resto do ano. Porque ele prestava no Santos, com aquela molecada, e com a nossa molecada não presta!? Demitir Doriva Júnior é jogar no lixo o trabalho de peneira e lapidação da molecada da base que ele fez nos últimos 2 meses.
8. O Barcelona ganhou seu segundo título do ano. Agora são campeões da World Rural League...
9. Essa geração descoberta por Dorival promete, e tem muito ainda pra mostrar e desenvolver.
10. Acabou! Levantemos a cabeça e daremos a volta por cima.

Em tempo: mais uma vez, tivemos notícia de agressões, violência, inclusive das forças policiais, além de ofensas de cunho racistas contra pessoas e atletas, o que rejeitamos veementemente. É por essas e por outras que, infelizmente, não colocamos a GaloKombi na rua em dia de jogo contra o cruzeiro, já que não temos qualquer garantia de segurança por parte do Estado, que sequer permite duas torcidas na arena. Esperamos pelo dia em que a educação das pessoas, tanto na escola quanto na família, e o respeito pelo adversário, possam reinar e deixar tudo isso de lado. Mas duvido que até que meus netos possam experimentar isso.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

PLANILHA DE CÁLCULO DO PREÇO DA GASOLINA

O blog da GaloKombi fala sobre o Galo, claro, mas também sobre Kombi e o automóvel.
Por isso, publicamos abaixo uma planilhazinha simples, da apuração do valor da gasolina brasileira, cuja distribuição é monopolizada pela Petrobrás, por meio da BR Distribuidora, que além de afanar uma grana nossa, ainda patrocinou, irregularmente, o Flamíngua.
Leia abaixo, só pra vc ficar bem irritado:

Composição do preço gasolina (em R$): 
Gasolina ("A") 800ml (pura, vendida pela Petrobrás) = R$ 0,80
Álcool Anidro 200 ml (os 20% misturados à gasolina) = R$ 0,24
TOTAL = R$ 1,04 / Litro
+
CIDE - PIS/COFINS (Imposto Federal) = R$ 0,44
ICMS (Imposto Estadual)= R$ 0,64
TOTAL DE IMPOSTOS (104% do Preço Bruto) = R$ 1,08
TOTAL (CUSTO + IMPOSTOS) = R$ 2,12
+
LUCRO DA DISTRIBUIDORA (Média por Litro) = R$ 0,08
FRETE (Média por Litro) = R$0,02
 
LUCRO DO POSTO (Média por Litro) = R$ 0,25
 
FINALIZANDO:
VALOR NA BOMBA COM IMPOSTOS = R$ 2,47
VALOR NA BOMBA SEM IMPOSTOS = R$ 1,39

Portanto, se você consome 200 litros de gasolina por mês, o bolo fica dividido assim:

DONO DO CARRO (otário 01- Você, no caso....) GASTA: R$ 494,00
DONO DO POSTO (otário 02) GANHA: R$ 50,00
DONO DO CAMINHÃO (otário 03) GANHA: R$ 4,00
PETROBRÁS (gente que rala...) GANHA: R$ 16,00
GOVERNO (nem um pouco otário....gente de lobby....gente da corte.....gente picareta....gente privilégio reforma não...gente auto-salário) GANHA: R$ 216,00
 
Deveríamos comemorar a "auto-suficiência" em roubo também.
Nós produzimos nossos próprios corruptos...
BRASIL:UM PAÍS DE TOLOS!!!
 
Faça circular essa mensagem, quem sabe alguém faça alguma coisa

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Vencemos a primeira batalha

Se estivéssemos em uma guerra, só pra usar termos militares, vencendo a primeira batalha.
Tomamos a vantagem do inimigo, ocupando boa parte de seu território.
Agora teremos que estar preparados para a resposta do adversário, que não será pequena.
Elas devem estar entaladas, no sentido literal, com as duas traulitadas que levaram, até porque, o gegé merrela, andou dizendo por aí que perder a libertadores era até certo ponto normal, mas perder pro Galo, uma partida ou o título, era inadmissível.
Então, é isso, novamente, a luta contra a soberba descarada do inimigo.
O Atlético fez, ontem, uma excelente partida, mesmo cometendo os mesmos erros básicos de sempre, mas demonstrando uma raça, uma vontade como não vimos antes em outros momentos.
A garotada da base, como convém à tradição do Atlético, mostrou suas qualidades ontem. Qualidades que, claro, ainda têm que ser desenvolvidas e melhoradas, tudo com calma e paciência, ainda que estes atributos faltem à torcida.
O trabalho de Dorival Júnior, após o período conturbado, vem sendo demonstrado rodada após rodada, e confio que os resultados irão aparecer, mesmo que não nesse ano de 2011, mas em 2012, certamente, se a diretoria não cometer outra insanidade de refundar o futebol do Galo, no início da temporada, tal como ocorreu em 2010 e na metade desse campeonato mineiro de 2011.


Em tempo:
1. Parece que, Graças a Deus, Carlos Alberto não virá. Pode ter até rendido na mão do Dorival Jr. quando estava no Vasco. Mas, convenhamos, jogou contra quem na série B e no carioca? Nessa toada, se formos analisar assim, até Bilú, Marinho, Éder Luis e Tchô renderam também. Como disse em texto anterior, Carlos Alberto sempre foi sinônimo de problema em todos os clubes por onde passou. E esse tipo de problema é algo que o Galo, efetivamente, não precisa nesse momento.
2. Obtive informações de que o Ricardinho tentou mandar sim na escalação do time do Galo e interferir no trabalho do Dorival. A trairagem a que o Dorival se referiu foi à sistemática intervenção dele nas escalações, tentando colocar alguns jogadores contra outros e contra o técnico. E um dos que era "barrado" por Ricardinho era justamente Mancini. Partiu de Mancini o contra ataque a Ricardinho. A coisa chegou a tal ponto que Ricardinho teria se recusado a jogar partidas em que Mancini fosse relacionado, escalado ou substituído.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

CONTRATAÇÕES: O QUE ESPERAR?

No futebol não podemos antecipar resultados dos novos contratadados, assim como se espera nas empresas. Nestas as contratações são baseadas e currículos e comprovação de experiência na área que será ocupada. Já no futebol, temos, apenas, uma expectativa do que poderá ser feito pelo novo contratado, o que não dá garantia nenhuma de resultado.
Exemplos assim, no passado recente do Galo, temos aos montes!
E, aproximando-se o fim do Campeonato Mineiro, nova rodada de especulações de contratações entram na pauta do Atlético.
Desta vez os nomes são de Keirrison, que já vem sendo assuntado desde o meio do campeonato; Carlos Alberto, depois de sua conturbada dispensa do Grêmio; e Emerson Sheik, também dispensado, de forma mal explicada, pelo Florminense.
Mas o que esperar de contratações? E o que esperar de certas contratações!?
Depois da satisfação Diego Tardelli e da decepção Diego Souza, fiquei partidário de não emitir comentários sobre jogador, tanto para o bem quanto para o mal.
Em 2009, Diego Tardelli, Correa e Jonílson, chegaram no Galo com uma imensa desconfiança da torcida e foram figuras decisivas naquele ano. Tardelli ainda seria mais necessário em 2010, diante da pífia campanha comandada pelo pofexô.
Aliás, a própria contratação do pofexô (que esta Kombi foi contra desde o princípio, quando foi anunciado em 12/12/2009 - clique aqui para conferir) que foi motivo de festa, se mostrou um desastre total. Isso passando pelo já falado Diego Souza, além das figuras de Daniel Carvalho, Renteria, Jairo Campos, Caceres, e muitos outros, só no período 2009/2011!
Por outro lado, tivemos grandes surpresas, nas verdadeiras apostas que fizemos: Magno Alves, que ninguém acreditava, por causa da idade e porque ser artilheiro no Ceará é uma coisa, no Galo é outra, totalmente diferente. O próprio Tardelli foi uma.
Ou seja, falar sobre contratações, antes de entrar em campo é uma coisa, depois é outra, pra melhor ou pra pior!
A questão, depois de todo esse falatório, é que em algumas contratações, já podemos falar de antemão: não vai dar certo.
A experiência nos permite dizer isso. E Carlos Alberto é um exemplo disso!
O currículo do cara evidencia o grande risco que sua contratação representa. Em temporadas recentes o único time em que fez um bom trabalho foi no Vasco rebaixado, sob comando do mesmo Dorival Júnior, que acredita que possa controlá-lo novamente, como acreditou que poderia controlar Jóbson e recuperar Diego Souza, e não conseguiu. Carlos Alberto é uma aposta arriscadíssima!
É, como muitos já disseram, a possibilidade de reeditar um novo episódio Ricardinho!
A mesma coisa pode ser a contratação do Emerson Sheik. Embora sejam circunstâncias distintas, a entrevista dada por ele ao Globoesporte.com mostra que a coisa também não é tão simples, e sua metralhadora disparou contra todos. Tudo o que o Galo não precisa nesse momento.
Já Keirrison é, mais uma vez, uma aposta. Digo mais uma vez, porque todos os times que o contrataram após sua saída do Coritiba, foram enganados. Keirrisson está mais para Cairo, que não passou de eterna promessa.
Acredito que Keirrisson seja mais um estelionato do futebol, assim como foram Kerlon Foquinha, Giovanni, Fábio Júnior, Ricardo Bueno, Tchô...
Ele já teve várias oportunidades, especialmente nesse Santos de inegável qualidade, mas continua o mesmo jogador apagado, que em nada lembra o atacante do Coritiba...
Em resumo: sou contra essas contratações. Keirrisson aparenta ser mais um engodo do futebol, sendo que já sofremos com Ricardo Bueno, enquanto Carlos Alberto é um vagabundo profissional, que já tivemos em nossos quadros na pessoa de Jóbson.
Acredito que, na atual retomada de rumo pela qual o Galo está passando, esses caras não valem o risco de botar tudo a perder, mais uma vez.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

MAIS UMA FINAL ENTRE ATLÉTICO E CRUCRU

Como já disse aqui, chegar à final do Campeonato Mineiro é obrigação para Atlético, Cruzeiro e América. Vencer o campeonato já é diferente.
Só é obrigação quando acontece a raridade de um time do interior chegar à final, como no ano passado, em que o Galo confirmou seu favoritismo e venceu o Ipatinga.
Em condições normais de temperatura e pressão, chegar à final é obrigação, já vencer, enfretando outro time grande, não, mas jogar bem e demonstrar raça e vontade, sim.
As marias chegam como favoritas ao título, pela campanha e pelo entrosamento, já garantido pela base mantida desde 2007.
Base essa que a duras penas construímos em 2009, com aquele desacreditado time de Celso Roth, mas que foi desmanchada em 2010 pelo pofexô e que, mesmo (re)criada pelo Dorival Júnior, no final de 2010, foi novamente desmontada em 2011 com a venda de importantes jogadores, o desligamento forçado de umas maçãs podres, fora outros bundões que pediram pra sair já que não aguentaram a pressão da Tropa de Elite.
O Clássico é tão importante e tão marcante que até rendeu uma edição inteira no programa Loucos por Futebol, na ESPN Brasil (clique aqui e veja a chamada)
Mas clássico é clássico e vice versa!
Dada a evolução do time, que ainda não está em sua condição ideal, mas que melhorou muito em relação às pavorosas apresentações neste campeonato, temos totais condições de vencer o campeonato. Os dois últimos jogos mostraram uma evolução considerável na saída de bola da defesa para o ataque. O gol do Serginho no sábado, contra o América, é a demonstração clara disso.
O que a torcida do Galo mais deseja é a dedicação e raça de nossos jogadores, e uma vitória no final, confirmando o título para, mais uma vez, calar a soberba, tão comum em nossas adversárias.