GaloKombi em vídeo

Loading...

quinta-feira, 20 de março de 2014

GALO X NACIONAL EM DUAS PALAVRAS: FORA AUTUORI

Galo na Libertadores 2014: só rezando
Foto: Daniel Teobaldo/Soul Galo
Como disse o @Couttinho: Autuori vai afundar o Galo, como fez com o São Paulo, com o Grêmio e com Vasco.  Por isso, deve ser demitido o mais rápido possível.

E posso pedir a saída do técnico agora, porque não o critiquei com dois jogos. Mas, somente agora, com dois meses no comando técnico do Atlético, sendo que temos um amontoado de jogadores, sem esquema tático, sem jogadas.

O jogo contra o Nacional/PAR foi uma correria sem foco, com algumas poucas jogadas dignas de nota. Autori chegou dizendo que aplicaria uma mudança técnica e tática, para acabar com o esquema “correria” do Cuca e fazer o time dominar a bola e controlar o jogo com sequência de passes.

Mas, passados dois meses, não temos nada disso. Autuori desmontou o que o Cuca havia feito, que no final de sua passagem já não surtia o mesmo efeito, e precisava, sim, de uma mudança, mas também não conseguiu colocar em prática o que disse que iria fazer. Ou seja, além do mal momento de importantes jogadores (como analisaremos mais adiante), não temos um técnico que bote ordem na casa!

E, como bem disseram, na CBN, no final de sua entrevista: Autuori deu mais uma entrevista em que fala muito, mas não explica nada. E ainda por cima consegue ser mau educado com que está ali apenas para fazer o seu trabalho, que é questionar, e não puxar saco.

Como disse no Terreirão Cast n.º 8 (ouça aqui): Paulo Autuori já é detestado como o Adilson Batista...

Por fim, alguns comentários sobre alguns jogadores:

1. Ronaldinho Gaúcho tem que voltar a jogar bola. A desculpa de falta de ritmo já não cola mais, pois já são dois meses de treino. O fato de não ter sido convocado para a Seleção, não é o fim do mundo, que também não se resume a cantar funk e nem fazer pandeiro das bundas do mulherio que lhe dá o maior mole Menos música e mais futebol, né, R10! E mais, ficar se jogando no chão, para cavar pênaltis e faltas, igual ao Berola, por R$1.200.000,00/mês, é demais! Não tem desculpa.

2. Tardelli pode até estar jogando sozinho, como foi contra o Nacional, em que não conseguiu fazer quase nenhuma de suas jogadas de tabela ou passes curtos, e que piorou ainda mais com a saída de Fernandinho, um dos poucos que vinha fazendo a diferença. Suas torças de passes com Jô e Ronaldinho, simplesmente, não existiram no jogo de ontem. Aliás, tá rolando alguma treta com o Ronaldinho? Foi visível a distância entre eles.

3. O lugar do Jô É DENTRO DA ÁREA! Foi lá, fazendo gols de cabeça e com oportunismo, típico do atacante, que ele se consagrou no Galo em 2012 e garantiu suas convocações para a Seleção, inclusive, e provavelmente, para  Copa. Fora da área, com a bola nos pés, com aquelas pernas de bambu, igual aos bonecos de Olinda, ELE É NULO!

4. Dátolo não serve como lateral. E isso dispensa explicações. Basta ver suas apresentações nessa posição. Todo mundo sabe disso, menos o Autuori...

5. Berola é jogador de 15 minutos, de Série B e de campeonato mineiro. Suas limitações técnicas e físicas são evidentes, e não se pode depender, na Libertadores, de um jogador assim. Lembre-se disso quando pedi-lo em campo. Ah, e ele errou aquele “voleio” que acabou em gol mais bonito da rodada no mineiro (repito: no campeonato mineiro!).

quinta-feira, 13 de março de 2014

GALO X NACIONAL - ENFIM UMA PARTIDA CONVINCENTE

Foto: Daniel Teobaldo/SoulGalo
Achei o time do Galo muito bem ontem, especialmente no primeiro tempo, em que reagiu e virou o placar de forma bem convincente. O segundo tempo é que foi de matar.

Muito embora o Nacional não tenha dado um chute certo no gol do Victor, pressionou muito, e o pênalti, sem entrar no mérito de sua existência ou não, pois naquela circunstância poderia ou não ser marcado, a tática de segurar o resultado é arriscada porque aumenta a pressão sobre a defesa. É uma estratégia de risco, que não deu certo.

Segurar resultado não pode ser opção pro Galo. Isso é a cara do Autuori, que tem que entender que isso não pode ser opção para o Atlético, ainda mais com elenco que tem, e, principalmente, a importância que tem na Libertadores.

Ronaldinho fez a sua melhor partida este ano, na minha opinião. Criou, acertou passes e lançamentos, coisa que não vinha acontecendo.

Achei sua substituição, como parte da estratégia de segurar o resultado, equivocadíssima. Em campo, Ronaldinho é sempre perigoso! Mesmo não jogando tudo o que sabe, pois chama a marcação, impõe medo e respeito ao adversário. E como craque que é, faz uma grande jogada e decide o jogo.

Pra segurar o resultado, como queria o Autuori, algum jogador de defesa poderia entrar, mas não no lugar do Ronaldinho.

Enfim, foi a primeira vez que o time me convenceu neste ano. Ao mesmo time que jogou o primeiro tempo. São sete pontos conquistados em nove disputados, com dois jogos fora de casa.

É um desempenho longe de ser considerado ruim. Ao contrário! Tem time aí, endeusado pela imprensa, que não chegou nem perto disso.


Vamo que vamo!!!