GaloKombi em vídeo

Loading...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

RESUMÃO

Em face do afastamento das atividades do dia-a-dia do blog, passo ao resumão dos fatos relevantes dos últimos dias, relacionados ao Glorioso.

Brasileirão 2010
O Galo começou a dar sinais de vida, com duas vitórias seguidas, sobre Corinthians e Atlético/GO. Empatou com o Ceará, algo que não podemos tomar como normal, e perdeu para o Inter, que seria um resultado possível/plausível, mas na nossa condição não poderia ter acontecido. Até porque, dava para ter segurado o empate.
Mas estamos aí, na luta, graças à intervenção de Dorival Jr, que veio demonstrar como se realiza trabalho sério, com competência e de qualidade, com respeito aos atletas, à direitoria e, especialmente, à torcida.
O que o Luxemburgo fez por aqui é digno de processo judicial, dada a quantidade de cagadas que deixou por aqui.

Luxemburgo
Por falar nele, vi a "entrevista" dele no "Bem, Amigos", do Galvão Bueno e seus asseclas baba-ovo participantes daquele circo. Uma entrevista em que nada de importante, incisivo, foi perguntado. Todo mundo na imprensa sabia de um monte de informações sobre a falta de trabalho dele no Galo. As noitadas, dele e dos jogadores, as rodadas de poker noite adentro e madrugada afora. Treinos em meio período, etc. Nada, absolutamente nenhuma palavra foi dita acerca desses assuntos. Apenas as amenindades de sempre e, claro, graças ao ridículo Renato Maurício Prado, muito, mas muito papo furado sobre o Flamíngua. Apenas o Galvão teve coragem de perguntar, mas bem de leve, sobre a sua tão decantada reciclagem e sobre o que aconteceu para as coisas não terem rendido como se esperava por aqui.
Aí ouvi a pérola das perolas já ditas por Luxemburgo. Depois de culpar o pão que caía com a manteiga pra baixo, da falta de fome dos jogadores, a culpa por tudo de errado que aconteceu por aqui foi da lesão, dele, não dos atletas. A lesão do técnico foi a culpada pela falta de rendimento/atividade do time... Mas, ao contrário do que pensa Tiririca, ainda ia ficar pior: ele confessou o que todo mundo já sabia, mas, claro, passou batido no programa: ele não treinava o time, e só passava na sexta-feira para dar "uma ajeitadinha" no time pro fim de semana. Confessou que deixou o time nas mãos dos assistentes (desde quando Rincón é técnico!?) e alegou que foi por causa da cadeira de rodas. Ora, faça-me o favor.
Quer dizer, confessou que ganhou sem trabalhar. Depois disso, só me resta perguntar: cadê o Departamento Jurídico do Atlético?

Sulamericana
Começou a fase internacional da Sulamericana. Depois de 10 anos o Galo realiza um jogo internacional. E foi bem, mostrando, de novo, a diferença que Dorival Jr representa nesse time. Apesar de não estar comentando jogos, já que falamos sempre as mesmas coisas, ontem pudemos confirmar a mudança de comportamento de Diego Souza e a importância de Obina para o ataque do Galo. 2x0 foi pouco, pois o Galo poderia ter marcado mais, muito mais. 2x0 foi pouco para que pudéssemos ir à Colombia à passeio. Mas tudo bem. A vitória serviu, principalmente, para dar moral contra o Avaí, no próximo domingo, a fim de garantir a reviravolta na nossa posição na tabela.

Clássico
Começou a palhaçada. Toda véspera de Atlético e Crucru é essa mesma ladainha. De ambos os lados. O Kalil sai falando um monte, inclusive de besteiras, que são retrucadas pela turma perrelista, que tomou conta do clube azul calcinha.
A última do momento, porém, começou com as marias, indicando o Parque do Sabiá como local da partida, em exercício do mando de campo. Do nosso lado, Kalil já disse que não aceita, em face do que ocorreu no primeiro turno. As marias retrucaram que o mando é delas e elas fazem o que quiser, onde quiser. Tudo bem, cada um sabe o c* que tem...
Mas a questão aqui é mais de ética, como bem lembrou Cristian Munaier, do Terreirão.
Na Turma do Bate Bola de ontem, Valdir Barbosa disse que não tem nenhuma ata determinando/obrigando a realização do jogo na Arena do Jacaré e por isso o Kalil podia espernear o quanto quisesse, que a decisão é do crucru, após a autorização da FMF/CBF. E que o máximo que poderia ser feito é garantir os 10% da carga de ingresso à torcida adversária.
Contudo, a posição defendida pelo Atlético é mais que correta. Não há obrigação aos clubes, mas há um acordo de cavalheiros. Na ata da reunião entre os clubes, o MP, a FMF e a Polícia Civil, ficou acertado o clássico em Sete Lagoas com torcida única, por segurança, o que foi aceito pelos dois clubes, e que os clubes envidariam todos os esforços para manter o jogo em Sete Lagoas.
O Galo cumpriu sua parte: realizou o jogo em Sete Lagoas. Agora faltava as smurfetes cumprir a sua e realizar o jogo no mesmo local.
Enfim, ética, que no futebol é uma palavra que está escondida no dicionário. E mais escondida ainda no cúpula crucruzeira, considerando que seu presidente está sendo investigado pelo MP...

Um comentário:

  1. Brasileirão 2010.
    É seguir remando, ainda falta muito...e pelas contas são 8 em 9 para nos garantirmos....

    Luxemburgo.
    Se tivesse saido logo após os resultados negativos pós copa, já estaríamos longe dessa posição.

    Sulamericana.
    O problema nessa copa é o palmeiras. O resto é manha pro galo, ate os argentinos estão caindo pelas beiradas.

    Clássico.
    Melhor que seja no interior. Temos assim a possibilidade de acabar com esse jogo de uma torcida só! No interior não há como dividir torcida...

    ResponderExcluir