GaloKombi em vídeo

Loading...

domingo, 26 de maio de 2013

RESUMÃO DA SEMANA

GALO CAMPEÃO MINEIRO 2013: O CHORORÔ DO HINO.

O galo conquistou seu 42º título estadual, reafirmando sua hegemonia em Minas Gerais.
Sim, foi um jogo abaixo daquilo que estamos acostumados a ver, como vimos no primeiro jogo, em vários jogos no próprio estadual, além, claro, na Libertadores.
Mas, o melhor de tudo foi o chororô maria após o jogo.
Primeiro, o grito da torcida, em apoio, modinha como lhes é de costume, ao time, que foi abafado pelo Hino do Galo, tocado em alto e bom som, em homenagem aos campeões, que rendeu inúmeras reclamações, pelos que consideraram uma ofensa tocar o hino do adversário em seus domínios.
Isso é só a prova de que o Mineirão é da Minas Arena, que nele faz o que quiser e que o crucru é, apenas, mero locatário do espaço, e que o contrato de parceria, nada mais é, que um contrato de utilização/locação por condições mais favoráveis.
De parceria, aquilo lá não tem nada!
Pelo contrário, pois, qualquer outro time que quiser se tornar "parcerio" pode. O Galo é que não quis, pois tem na BWA/Independência, verdadeira parceria.
O jogo mostrou, finalmente, que a tão falada parceria não render nada mais que renderia a elas o que o edital de licitação do mineirão já determinava. É a única interpretação cabível das patéticas reclamações da diretoria azul, na pessoa de seu diretor de futebol, Carequinha Barbosa.
Finalmente está aparecendo a verdade sobre essa "parceria": de que o cruzeiro se fudeu por simples vaidade. A vaidade de dar uma "resposta" ao presidente Kalil, quando fechou contrato com o Mineirão por 25 anos, só para falar que joga no maior estadio de MG, e não no acanhado independência.
Se assim não fosse, se a parceria estivesse realmente dando dinheiro, não seria um hino que iria colocar tudo a perder...


GALO CAMPEÃO MINEIRO 2013: A INCITAÇÃO À VIOLÊNCIA

Quando a gente acha que elas já suportaram humilhação suficiente, depois de estarem invictas, perderem o título da forma como perderam, ainda ficamos sabendo das manobras de bastidores, pedindo punição a Ronaldinho, por causa do "caso da granada".
Meu Deus! Que pensamento pequeno...
O dia que imitar uma metralhadora atirando, ou lançar uma granada imaginária foi incitação à violência, podemos acabar com o futebol no Brasil e no Mundo.
Futebol é isso: é zoação, é brincadeira! Não é jogo de tênis, em que o ponto é comemorado com aplausos. Se for assim, a graça do futebol já era.
E quem se achar ofendido por causa disso, e surtar agredindo quem estiver na sua frente com camisas do Atlético, ou de qualquer outro time adversário, que seja preso e punido. É só isso que se espera para findar os atos de violência.
Se assim for, aquela encenação de uma guerra medieval, ontem, na final da UEFA, é o maior caso de incitação da violência.
Sejamos honestos: quem se sente apto a agredir terceiros por causa da granada imaginária do Ronaldinho, tem problema mental, e deve ser afastado do convívio social, pelo bem da sociedade como um todo...


GALO x TIJUANA

Uma partida abaixo da média, foi esta do Galo contra o Tijuana.
E uma série de fatores contribuiu para isso: o cansaço da viagem longa, logo após a final do mineiro; o gramado sintético, que jamais deveria ter sido permitido pela FIFA (da Comenbol, nem precisamos comentar...) e até o próprio sentimento do time de resolver o jogo quando bem quiser.
No fim, o jogo serviu para vermos que também temos limitações, que alguns jogadores, efetivamente, estão no limite para disputar uma competição como a Libertadores, que não podemos dar mole para o azar, e ainda, mas o melhor de tudo, é que não desistimos jamais.
Há um tempo atrás, um resultado parcial como esse, de 2x0, até 20min do segundo tempo, seria a senha para que o time se diminuísse e apenas torcesse para o fim da partida.
Tardelli e Ronaldinho disseram isso claramente: não desistiremos nunca. E foram lá e arrancaram um empate que, diante das regras do campeonato, foi ótimo para nós, pois voltamos a depender apenas de nós mesmos, contra um adversário que, na casa deles, só tem como arma(dilha) o campo em que joga. Aqui em BH, o ritmo será outro, e a vitória, mas, principalmente, a classificação, é questão de tempo, pois confio na superioridade técnica de nosso time.
Aproveitar aqui e agradecer ao pessoal do Bartatta, que nos recebeu para o jogo e ainda permitiu nosso bandeirão tornasse o lugar ainda mais atleticano.



COMEÇA O CAMPEONATO BRASILEIRO

O Galo inicia sua caminhada no Campeonato Brasileiro hoje, contra o Coritiba, na capital paranaense.
E vai de mistão, visando preservar alguns jogadores. Tá certo, neste momento, por causa, mais do desgaste da viagem de volta do México, que por causa do adversário em si.
Tudo bem que o Coritiba não é um time qualquer do Campeonato Mineiro, ocasião em que o mistão do Galo deu conta do recado.
Mas é preciso ter em conta os exemplos recentes dos times que, visando a Libertadores, abandonaram o Brasileirão e, no fim, suaram para se livrar de uma posição incomôda na tabela, ou não conseguiram se classificar para a própria Libertadores no ano seguinte.
Se formos campeões da Libertadores, essa "omissão" pode até ser perdoada. Do contrário, sabemos que essa chatíssima torcida irá chiar...
Mas, mesmo que o objetivo seja o título da Libertadores, vencer o Brasileirão também tem que ser nosso objetivo, não só para a conquista do título em si, e a alegria da torcida, mas como meio de reafirmação do CAM no cenário nacional. E mais, serve ainda de efeito, pois, quanto mais alto se mira, mais alto se vai.
Amanhã comentaremos se o mistão deu certo, e se podemos contar com ele nos próximos jogos.


FUTFANATICS

E você, ao contrário do time do Galo em Tijuana, não precisa passar aperto para conseguir sua camisa do Galo. Basta acessar o site do FutFanatics e comprar, sem dor de cabeça, sua camisa do Atlético. Simples e rápido, sem passar raiva no trânsito, com despesa de estacionamento, etc.
Aproveita o fim deste texto e passa lá: www.futfanatics.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário